07/03/2019

Autografia l Traços e Contornos


Oiii, gente, tudo bem?
Hoje é dia de trazer a novidade de lançamento da Autografia! Estou apaixonada pela edição.

05/03/2019

Autografia l Letargia: O Despertar


Oiii, gente, tudo bem?
Hoje é dia de trazer a incrível novidade para vocês! O novo livro da autora Valéria Magalhães!

03/03/2019

fellis - Daniel Osiecki


Título: fellis                                                                                    Editora: Penalux
Ano: 2018                                                                                       Autor: Daniel Osiecki
Páginas: 84                                                                                    Compre aqui: Loja Editora Penalux
Exemplar cedido pela editora.

Sinopse: Logo na abertura da sua obra Daniel Osieck versa em metalinguagem, explicitando o porque da vinda dos seus posteriores poemas. Para ele, a linguagem, apresentada por meio de aliterações, vem para que se cumpra a vontade do poeta, algumas vezes aparece como desforro, como fúria, outras vezes como realização de desejos, vem como vem, para o que tiver de dizer, conforme a vontade do eu-lírico.
Esta poesia que se forma com a vontade do poeta, algumas vezes narra a história de personagens, fazendo para isto uma aproximação com a prosa, em “Narciso das Araucárias”, o leitor é apresentado a um ser protagonista que está enfeitiçado por sua própria aparência, as estrofes que se seguem, feito minúsculos capítulos, apresentam-se como se fossem cenas, a guardar em cada estrofe-capítulo, um desfecho para a narrativa.
O autor consagra a liberdade de se expressar, independente da lírica, como uma necessidade de paz por meio do descarrego das palavras, o caos, é consagrado como poesia, é exposto como algo convidativo, que precisa ser sondado. Quando o autor baila com a negridão do coração, o faz com grande desejo, vontade de se consumir pelas palavras. Na poesia “Coração Escuro”, o poeta celebra este coração machucado e aflito, consagrando a violência dos sentidos a uma voracidade de um almejar por destruição, por uma antropofagia que lhe coma, lhe cuspa, lhe permita consumir-se entre tamanha ferocidade de emoções.
"Em canastra canhestra”, o blefe, a mentira, a vontade de matar, de violentar, ganham palco, embora,  para que se tornem conhecidos precisem passar surgidas no contexto  de um jogo de cartas, desta  mesma forma a poesia também permite a expressão de sentimentos, mesmo os sórdidos, mas que enquanto naturais ao humano, não são pelas letras julgados, mas sim trabalhados de forma mais verossímil, transmutando raiva, ódio e tristeza em beleza.  

01/03/2019

A carta de despedida da Virginia Woolf


Olá, pessoal!
Hoje é dia de trazer uma curiosidade e até mesmo algo triste e novo para alguns leitores que acompanham aqui o blog literário. Como muitos sabem, Virginia sempre foi uma autora e tanto conhecida principalmente pelas figuras do modernismo com o início de sua primeira obra em 1915 e logo após lançando só obras expressivas e notáveis para os leitores.

25/02/2019

21/02/2019

Eu não sei de onde eu vim - Guilherme Cardoso


Título: Eu não sei de onde eu vim                                        Editora: Autografia
Ano: 2018                                                                                         Compre aqui: Editora Autografia
Páginas: 134                                                                    Skoob
Autor: Guilherme Cardoso
Exemplar cedido pela editora.

Sinopse: Aline é uma menina diferente das outras. Ela sente os pesares da humanidade e não suporta as injustiças. Curiosamente, vê sua vida se desenrolar em meio a várias delas. Ela não se sente parte do mundo. Se vê uma estrangeira, uma adotada. Ela já perdeu sua fé no fantástico antes mesmo de chegar aos seus 20 e poucos anos. Perambula sem destino por uma cidade sem orçamento enquanto exerce atividades inócuas, tais como cursar uma faculdade e trabalhar, a procura de uma resposta que vá suprir todos os seus anseios. Só o que ela não espera, é que sua vida virará de cabeça para baixo, ao infinito e além. Boa viagem, Aline. Espera. Será que isso foi um spoiler?

18/02/2019

Editora Penalux l Corações ruidosos em queda livre


Olá, tudo bem?
Venham conferir o novo lançamento da Editora Penalux!

15/02/2019

Pedra Papel Tesoura - Henrique Pitt


Título: Pedra Papel Tesoura                                                            Editora: Penalux
Ano: 2018                                                                                                  Compre aqui: Loja Penalux
Páginas: 78                                                                                               Skoob
Autor: Henrique Pitt
Exemplar cedido pela editora.

Sinopse: Um campo de “anarquídeas” reluz na pena de Henrique Pitt – como se, através do poeta, um carrossel de deuses descesse do firmamento para rir de nossa condição terrena: estamos sem respostas. Pedra papel tesoura, apesar de traços de matéria fria, daquilo que se concreta e se denomina, delineia, de fato, um percurso nitidamente à deriva, navio de embarcar no vazio, flores que escapam entre as cercas. São poemas de ritmo perplexo, de palpitação estranha [...] A consciência de escritura de Pitt tem milhares de vozes inauditas, temores a tiracolo, uma esperança disfarçada na elaboração, uma certa ironia niilista. [...] Henrique Pitt propaga um singular fenômeno acústico e alega ser o poeta aquele que profetiza a fé nos lábios. "Pedra papel tesoura" é um convite poético para uma peculiar margem da vida.

13/02/2019

Autografia l Como você sabe disso?


Oii, gente, tudo bem?
Hoje é dia de trazer a resenha desse livro incrível lançado pela Autografia.
Vamos conferir?

11/02/2019

Os Barcos de Papel - José Manuel Monteiro


Título: Os Barcos de Papel                                                                               Editora: Ática
Ano: 1988                                                                                                                  Skoob
Páginas: 80                                                     
Autor: José Manuel Monteiro

Sinopse: Os Barcos de Papel - Quito, Miguel, André e Josué resolvem explorar uma caverna que encontraram durante um passeio. Mas a excursão se transforma rapidamente num perigoso problema: o grupo se perde. E parece que a caverna esconde mais surpresas que eles podiam imaginar...
Como escapar dessa situação? Acompanhe a história desses jovens aventureiros em Barcos de Papel,um livro empolgante de José Maviael Monteiro.
Nome do blog | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2016 | POR:
NOS VISITEVIRANDO AMOR